17 de abr de 2010

Não tenho personalidade

Não tenho personalidade. Sou uma mistura de todas as experiências que já tive. De cada pessoa absorvo um trejeito, uma gíria, um pensamento.

Não sou insubstituível nem único. Sou um fabricante de máscaras, trabalho com fragmentos de minhas presas. Somente eu as uso. Significo para você o que eu quiser.

Não sou sempre o mesmo. Com cada indivíduo que converso travisto-me de filosofia diferente, adapto-me às circunstâncias. Sou um camaleão. Não possuo identidade própria. Adquiro facilmente a coloração do ambiente.

Ao contrário de você, todos os meus movimentos são estudados e pensados. Sim, eu me estudo a todo o momento, nos mínimos detalhes. Meu nascimento é um roubo. Os gregos até hoje procuram as máscaras que usavam para encenar suas peças. Conheço e compreendo como poucos a minha história, sei onde e quando aprendi sobre cada assunto.

Prezo pela verdade, mas sou um mentiroso. Não por desconhecer a verdade, ou dela duvidar. Tampouco vanglorio a mentira terapêutica. Pelo contrário, conheço tão bem a verdade que a acho desinteressante. Prefiro mentir para poder me enveredar pelas tuas entranhas e sugar o teu sangue. Sou sanguessuga. Um sanguessuga de idéias. Já imaginou o poder de um camaleão sanguessuga? Sim, este sou eu.

Minha busca é pelo que não sou capaz de traduzir. Portanto, não se preocupe, não lhe faço mal algum. A finalidade de minha existência depende da sua, sou daquele tipo de parasita que morre junto com seu hospedeiro.

Você já me conhece há muito tempo, mas nunca nos apresentamos. Muito prazer, me chamam Palavra. Seja bem vindo a minha morada, O Teatro.

5 comentários:

Vitor disse...

Novo template em fase de ''vamos ver se nos acostumamos''. Comentem!

Letícia disse...

Já li isso em algum lugar... quem escreveu?

Cecilia disse...

Vitor
Que lindo texto, parabéns!
Super amei o novo template ;)
beijo, beijo!

Carol disse...

Que demais!

Cara nova! Muito bom!!

Beijoos!

érica disse...

As três primeiras linhas do seu texto me fizeram pensar ainda em um outro teatro. O mágico.