19 de ago de 2007

Duas horas

Duas horas (ou uma vida)

Em meio a tanto cimento
O meu sofrimento é por
Não viver o caminho que estou...

Vou de carona andando
Em silêncio cantando
Do Leme ao Arpoador

Passo no Jardim do teu Deus
E dou logo um adeus
A tudo o que já se passou

Como o gênio da lâmpada
Em garrafa com tampa das
Horas escravo sou

Na auto-estrada da vida
Nada me intriga
Vivo sem tirar nem por

Depois de um escuro sem muro
Me vem à barra da boca
Um sorriso prêt-à-porter

Na estrada um bandeirante
Meio delirante me conta
de quem estou à mercê

E com o velho deitado
Passando ao meu lado
Já não me sinto sozinho

Chego em casa e escrevo
Um poema sem tema
Apenas curtindo o caminho

10 de ago de 2007

...

Vai, me diz, pensaram que nunca mais eu iria dar as caras aqui,não é?
Pois então, cá estou eu, viva.

Estou numa fase de textos curtos e desenhos mais abstratos do que nunca.
Para vocês deixo um texto, um fragmento de um momento.

[dois abraços apertados para meus companheiros de blog, que cujas mãos nunca me deixaram]


Mariana

...............................................................................................................

[a porta é fechada e algo cái no sofá]


drama
drama
drama
drama
drama
'dramáaatica'
...
ai, até me falta ar.
lá se vai
o tempo do drama
jogar-se no chão
exigindo.
roer unhas compulsivamente
tremer,tremer por respostas e ligações
espinhas
arranhões
tensões
mais um gole,e outro
outro
mais um ,por favor!


ah, isso nunca irá embora...
entendeu,garota?


[o 'algo' suspira]


o medo sempre te acompanhará
o medo de ser aprovada
o medo de ser mais uma dentro de uma saia
dentro de um carro
dentro de um coração
dentro de uma gaiola
dentro de um corpo


o medo trás dúvidas,opções
fugir ou não
engulir ou não
chutar ou não
rezar ou não
comer ou não
gritar ou não
rir ou não
protestar ou não
cantar ou não
aplaudir ou não
ser ou não


a dúvida vem para arrebatar seu sossego
rasgar suas sedas vermelhas
fazer seu sangue fluir de forma diferente,
num ritmo diferente
a dúvida te faz viver e avaliar
questionar-se
medo,dor,entusiasmo,amor,liberdade
eles irão acabar contigo até você ser
até você expressar e não mais querer representar


eles te colocarão em frente à ponte,
e seguir ou sentar será opção sua