17 de ago de 2009

Comer, comer e dormir!

Há uma grande teoria que diz que essas são as três melhores coisas na vida. Não é verdade, além de notar isso venho a todos revelar as bases estúpidas, machistas e homossexuais que se funda essa teoria.

Ponto frágil fundamental – A generalização. Como todos nós sabemos TODA GENERALIZAÇÃO É UM ERRO! Com exceção dessa, pois ela é a exceção que comprova a regra! Entendeu?

Comer - O primeiro comer refere-se à alimentos. Óbvio que é mentira, nem tudo é bom de se comer. Você já provou buxada de bode? Olho de cabra? A menos que você seja baiano, participante do “No Limite” ou meu pai, você não comeria isso nem morto. Há também uma segunda questão, a ciência diz que comer pouco prolonga a vida, então caímos num paradoxo, quanto mais você come, menos irá comer? (Diga isso para um Queniano!) Obviamente isso não pode ser considerado uma das melhores coisas do mundo!

Comer (sexo) – Outra generalização. Você já tentou comer um homem. Se sim, por favor não se entregue aqui, mesmo que você seja militar e esteja subindo pelas paredes... Mas, obviamente sexo entre dois homens é proibido por Jesus Cristo, por Deus e pelo Bispo Edir Macedo. Logo, não pode ser uma coisa boa, além de ser nojento, bunda cabeluda...argh...No mínimo quem fez essa teoria era pederasta.

Dormir – Puta merda, dormir é bom demais! Mas reparem bem...Dormir é um dos estados da vida mais próximos da morte. Sabe-se lá o que a alma faz enquanto você está dormindo, alguns dizem que ela vai visitar parentes mortos...putz, isso é deprimente, dormir é bom, mas não é viver e tenho dito!

Ha!

Achavam que eu não ia propor nada para o lugar, né? Achavam que eu ia ser escroto o bastante de apenas destruir a teoria dos outros sem construir nada?
Sim, eu tenho uma proposta. As três melhores coisas da vida são:

Chocolate – quer coisa melhor? Dizem que faz tão bem quanto sexo, você não tem que conversar e não limpa a sua carteira.

Mulher – Porque mulher é muito bom, mesmo quando é caro levar ela para cama.

Agora a terceira (e melhor) coisa foi a mais difícil. Eu tive que passar vários dias filosofando na ECO para chegar a tal conclusão. Primeiro achei que mulher fosse tão bom que mereceria ser a segunda e a terceira e talvez até a quarta! Porém, depois notei que havia algo ainda melhor: Mulher com Chocolate!
E sim, essa seria a terceira (e melhor) coisa se eu não tivesse notado uma outra coisa:
Não há nada melhor que amigos!
Então a terceira melhor coisa da vida é a amizade!


Achou fofo, emocional e nada condizente com esse texto a minha conclusão?
Eu tenho bases empíricas:
Imagine a pior situação do mundo – Você meu amigo que está com a sua mulher há anos (seja casado, noivo ou enrolado) e você é fiel, carinhoso e totalmente dedicado a ela. Um dia você descobre que ela já deu para todos os caras que você conhece e não gosta (obviamente, quem é seu amigo não comeria). Isso, mesmo, ela já deu para todos os caras que te sacaniaram na vida, ou seja, eles te sacaniaram duas, três, quatro, cinco vezes! Pense, quem são as únicas pessoas capazes de curar essa dor-de-corno que você tem? Óbvio: As amigas gostosas dela!

UM BRINDE À AMIZADE!
Carta aos leitores (Leiam porra!)

Faz tempo que não posto aqui. Andei de férias, foi um bom tempo, serviu para crescer (ou pelo menos tentar) e para parar um pouco e refletir sobre a vida. E uma das coisas curiosas que eu percebi é: há muita gente escrota no mundo. A cada coisa construtiva (ou que pelo menos se pretende) que alguém faz há sempre um espírito de porco para sacanear:
Sempre há um “mala” em qualquer comunidade do Orkut que está ali apenas para discutir. Ele consegue ter a incrível capacidade (aliada à falta do que fazer) de entrar em uma comunidade do tipo “eu gosto de azul-limão” apenas para criar um tópico escrito: Eu odeio azul-limão!
Há também o sem noção que se faz de desentendido. Entra numa comunidade do Harry Potter e pergunta: “é verdade que no fim o Rony termina com a Hermione?” Nessas horas eu quase sinto pena (ou raiva, não lido bem com minhas emoções, logo não sei reconhecê-las) das pessoas que ainda param e conversam com esse tipo de gente.
Notei também que o humor das pessoas escrotas é diferente. O filme pornô é por definição algo escroto, feito por pessoas escrotas e com muitos escrotos em cena. Mas, talvez ele pecasse menos se não tivesse títulos como: “A senhora dos anéis”.
Triste é quando o cara não feliz por ter uma personalidade dubitável ainda faz questão de fazer piada com a cara de todo mundo:
Sarney no senado.
Edir Macedo dizendo que não é ladrão.
E o infeliz que após o sucesso de “Comer, amar e rezar” resolveu escrever a fanfarronice com o nome de “Beber, jogar e foder”.
Mas, fora isso, toda essa minha encheção de lingüiça serve para algo:
Eu também quero ser escroto!

8 de ago de 2009

Poesia e codigo

Há pouco mais de um mês li uma frase perturbadora:

“Código é poesia. Ninguém sabe o que significa”

Era um artigo sobre a conferência internacional de CMS (Content Management System), e frase foi proferida pelo criador da Word Press, concorrente do nosso blogspot em hospedagem de blogs e afins. A idéia é que para que as pessoas comuns possam usar a internet como ferramenta de comunicação, elas não devem precisar conhecer a linguagem de programação.

link para matéria completa

Como toda boa peça publicitária, esqueci o que ela significa no contexto original, e fiquei matutando sobre seus diversos significados implícitos, obscuros e, claro, não desejados pelo emissor.

Ele afirma categoricamente ninguém sabe o que significa poesia. E, pensando bem, isso de fato se aplica a muitos poetas. Ontem estive no MAC (Museu de Arte Contemporânea de Niterói). De fato, a arte contemporânea é feita para não ser entendida. Aliás, permita-me um pequeno parentesis: morte aos arquitetos (ao menos ao Oscar Niemayer), que não sabem construir nada funcional, pois ser útil é totalmente secundário diante do ser bonito.

Bem, retornando, uma arte feita para não ser entendida é, na minha singela opinião, uma negação da arte. Eu gosto muito de descobrir significados não pretendidos pelo artista, mas uma obra que não tenha um ou vários significados desejados, para mim não passa de casca de árvore, sem vida. Até pior, pois a casca da árvore já teve vida um dia.

Uma vez perguntaram para um pianista o que ele sentida quando tocava. Ele olhou para a entrevistadora com certa piedade, deu um profundo suspiro, e respondeu: “se eu soubesse explicar com palavras, eu seria um poeta; como sou músico, sugiro que você me escute tocando”.

Toda arte é uma tentativa de se expressar, de dizer alguma coisa, um conteúdo. Às vezes, o significado não está claro em outra forma, em outras palavras além daquelas em que se expressa o artista. É por isso que alguns poetas não conseguem e nem podem se explicar.

Gostaria, então, de parafrasear o Sr. Matt Mullenweg, criador do WordPress, e dizer: “Poesia é código. Só o seu emissor pode saber o que significa.” E a grande questão do relacionamento humano é decodificar a poesia de cada um nos termos da nossa própria poesia.