8 de abr de 2010

Aniversário: 4 anos

É com muito orgulho que hoje completamos nosso quarto ano de blog.

Viver é o que acontece enquanto fazemos planos: da nossa idéia inicial, um espaço para que amigos se mantivessem em contato e lessem os textos uns dos outros, talvez não tenha sobrado muito. Vários passaram por aqui, mas somente eu e o Flávio permanecemos. Houve momentos de baixa, é verdade. Mas estamos aqui.

Para mim, escrever não é simples. Sou apaixonado pelo processo, apesar de ele ser doloroso. Cada um é o maior crítico de si, e muitas vezes o motivo que nos leva à escrita não é digno do papel. Para romper o silêncio, é preciso antes superá-lo.

Quatro anos depois, meu único incomodo com o formato blog é a sua a temporalidade. Os textos aqui dO Teatro tem uma intenção de serem eternos, não meros comentários de conjuntura.

Por isso, escolhi três textos bem antigos para indicar-lhes, caríssimos leitores:

Mariana, nossa sonhadora, nosso Limão Lilás foi co-fundadora dO Teatro; mas depois a vida a levou por outros caminhos; amamos muito ela, e esse texto é para mim arrebatador, volta e meia gosto de relê-lo:
Era um nó

Os bons momentos do Flávio são tantos, que confesso quase um assassino por tentar escolher. Mas na verdade tenho um veio psicopata, e escolho:
Poema a uma bela

Escolher o melhor de seus textos é como perguntar a um pai qual o filho preferido dele. Cada filho tem um gênero, e cada um é o preferido desse gênero. Meu critério aqui é histórico, escolhi o meu texto do gênero que me iniciou na literatura, a crônica:
Conto do ônibus

Por acaso, todos os textos foram publicados em 2006. Aqueles que acompanham o blog, não importa desde quando, por favor sintam-se convidados a lembrar de algum texto em particular que lhes tenha marcado de algum modo.

Um grande abraço e muito obrigado!
Vitor

4 comentários:

Carol disse...

Eeee!!! Eu estive presente no último aniversário! rsrs

Parabéns aos que passaram e a vocês dois que ainda dão bela vida ao blog.

Vida longa!

Beijos, Vitor e Flávio!

Paulo Sérgio disse...

Como o tempo passa hem!!! filhotinho.
Lemos com pouca regularidade o Teatro das Palavras, mas sempre é um prazer constatar a qualidade e evolução da produção literária, que hoje vc e Flávio levam avante. Parabéns pela disciplina, persistência e busca de extrair de dentro de vocês o que há de melhor. Bom trabalho, muitas realizações.
pai e mãe.

aaluah disse...

então estás online...

Anônimo disse...

Meninos!
Eu nunca esqueci vocês,nunca me esqueci daqui.Esse recanto que um dia foi meu diário.

Estou longe,mas um pedaço de mim fica, como uma linha que volte e meia uso para recordar o caminho por onde andei, com lugares,rostos e palavras.

Como me orgulho de vocês.
Muita saúde para esse teatro.
Beijos

L.L.