26 de abr de 2009

Ensaio II

Ensaio II

Ensaiara aquela conversa madrugadas a fio.
Em cada mínimo detalhe.

Encontrar-se-iam por acaso na festa de um amigo em comum. Ficariam constrangidos. Começaria algum assunto bem leve, algo como a recente onda de calor; emendaria sobre praia, e logo em seguida sobre férias de verão. Quem sabe então falariam sobre viagens, como as que costumava fazer para região dos Lagos. Falariam sobre as brincadeiras de infância, sobre o pôr-do-sol, aquele ventinho gostoso de maresia, sobre noites de lua e céu estrelado. Estrelas cadentes! Pediria que ela fechasse os olhos e fizesse um pedido. Quando os olhos dela se abrissem de novo, encontrariam os seus, sorridentes.

(...)

A festa mal começara e os ânimos logo se acirraram. Faíscas saiam a todo o momento. Levara conversa até a Região dos Lagos, quando a pancadaria começou. Protegeu-a o melhor que pode para longe da confusão.

Decidiu por bem levá-la ao ponto de ônibus.

Não. Não foi dessa vez.

7 comentários:

CArina CAmila disse...

Ai AI Ai ..
tá precisando de uma ajudinha..
chega dá uma agoniaa..rsrs
Só quero ver como que vai sair esse beijo.

Obrigada pelos comentários Vitor.
E parabéns pelos seus poemas. =]

carol disse...

Opa! Continuação!

Então será que, no fundo, a mente feminina é tão parecida assim com a masculina? rsrs

Na torcida para que a vez deles chegue (haha, momento "lado romântico on":D)...

Beijos, Vitor! :)

CArina CAmila disse...

Sim Vitor.. claro ..
concordo com vc..
Mas no meu caso deve de ser "foi".. Não utilizei no seu sentido real . ;)
Beijos

Flávio disse...

Pancadaria? Mas...era uma estorinha (!?) romântica!Pq pancadaria?
Continuo achando que ele era tímido!

Danusa disse...

gostei muito do seus textos!
acho que eles sairam bem da convenção romântica chata e previsível, mas sem perder a simplicidade das palavras e mesmo da estética do texto... não tem complicações sintáticas: afinal, ninguém imagina seus momentos com inversões frasais e adjetivos que se encontra em dicionário. Pra mim, o melhor foi que vc conseguiu expressar bem as expectativas de uma mente feminina, que é detalhista até na hora de imaginar; e a frustração... pq só sabendo de quanto tempo se passa sonhando, é que se tem noção de uma decepção numa coisa tão simples, nos dias de hoje, aparentemente, tão vã, quanto um beijo...

Ana. disse...

Vim aqui somente agradecer o comentário, mas felizmente achei motivos para comentar sobre algo mais. Obrigada e fez sonhar.

Anitha Rosenrot disse...

Não entendi o que quis dizer com "colocar a referencia para as obras completas do colecionador de olhares"
O texto no meu blog é de minha autoria... Machado de Assis escreveu algo semelhante? Não tenho conhecimento disso...