19 de jan de 2008

A vida é passageira, mas o amor é inacabável...

Penso nisso...

Defronto-me todos os dias com essa frase ao caminhar para a UFRJ. Escrita à grafite num viaduto, e ainda mais, riscada, sinceramente nunca fora alvo de meus devaneios, até hoje.

Hoje eu acordei com essa estranha frase martelando na minha cabeça, sinto que talvez ela queira me dizer algo. Procuro então numa análise minuciosa pensar o que o autor da dita frase queria transmitir com ela. Penso que talvez quisesse nos fazer crer na supremacia do amor perante a vida. A vida tem fim, mas o amor entretanto cria frutos que perduram muito além de uma única existência. Seria então apenas uma visão otimista do amor? Como tantas outras? Tão tola, tão cheia de defeitos como ignorar os mal-amados ou os nem-amados, e pior, os frutos que provém de um amor torto, seja ele interesseiro ou forçado. Não sei, como dizia Alberto Caeiro pensar é fechar as janelas da alma. E pensando nisso eu me sinto ainda pior, e descubro que já estou distante do sentido original da minha frase.

Mas, é o que então? O que tem nessa frase que me chama a atenção? Gramática, algo inovador? Não! Conteúdo? Clichê! Não!Mas porque tantos problemas por uma simples frase? E me vem outra vez a frase de Caeiro na cabeça, ela me devasta, o que não é muito difícil, afinal, eu já estava exausto antes desse último golpe.

Jogo fora então a tarefa de tentar elucidar a mensagem subliminar escondida na frase do viaduto e vou ver TV. Pois quem sabe, eu esqueça de toda essa tolice.

E sim amigos! Não esqueci, em verdade a frase retornou a mim ainda mais forte do que primariamente e tudo ficou tão claro, mas tão claro que infelizmente eu não posso, nem conseguiria jamais transcrever aqui. Então:


A vida é passageira, mas o amor é inacabável...

Sinta isso...

10 comentários:

Jessy_Noturna disse...

Dificil é esse sentimento, meu querido amigo... Embora tentamos sempre sentí-lo ao máximo de sua essência, mas ha casos em que isso é praticamente impossível... Amei o texto e ficou muuuuuuito bem escrito... Espero poder ler seus próximosn textos!!!! ^^

Beijos

cla disse...

como eu ja t falei o q achei por msn e tb pq o nada é algo... por aqui termina meu comentário xp

Vitor disse...

Eu concordo em gênero, número e grau. Até por causa da minha fé - vejo o amor como a expressão da divindade, do eterno. Institucionalizado de milhares de formas ao longo da história.

Isaac disse...

O amigo caloroso:

"Que a vida é mesmo coisa muito frágil
Uma bobagem uma irrelevância
Diante da eternidade do amor de quem se ama" (Por Onde Andei/Nando Reis)

O crítico austero:

"Sinta isso..." Não me venha com essas iniqüidades. Sejamos justos: a cada um, as epifanias que lhe cabem. Espero que não se tenha esquecido de sua empreitada: "Quero exprimir o inexprimível, afinal essa é a minha função, não é?". Abraço.

Érica disse...

O amor transforma o mundo, se perpetua nos efeitos borboleta através dos tempos...
Concordo inteiramente com a frase. ;)

Vanessa disse...

O amor é sim inacabável.O amor é um dom de Deus.Lindo o texto.


Inté,meu querido.

Alice disse...

bem meu querido,
como já havia dito, você escreve romanticamente bem. será um ótimo profissional de comunicação e poderá fazer muito sucesso caso consica levar esse romantismo para suas propagandas!
;)
beeijos

Ellen disse...

O desafio talvez não seja entender o conteúdo das mensagens de viaduto, e sim o que se passa dentro das mentes dos autores das mensagens.

Estariam todos apaixonados?
Ou são eternos partidários do amor, da esperança e dos bons sentimentos?

Impossível saberr...
Dá um pulo no meu:

www.ellencaroli.blogspot.com

anapaulinhafs disse...

Flávio, o texto está muito bom!! Parabéns!
Em alusão ao que foi riscado na parede, devo dizer que vida e amor são para mim duas palavras indissociáveis. Amo viver e Vivo amando. Talvez, o autor da frase tenha perdido o real sentido de viver, seja por sua mediocridade ou pela saudade de uma pessoa física, o que o permite unicamente sublimar seu amor aos que passam próximo ao viaduto. Eis aí mais um ponto de vista. ;)

Monalisa Marques disse...

Tudo acaba, menos o amor. Esse ~'e que é o problema. É dessa diferença que vem a saudade, e da saudade que vem todas as lágrimas silenciosas da madrugada.

Até as fotos provam isso. Elas também são um problema. Não trazem de volta a pessoa à vida, mas nos fazem lembrar do amor que ia e voltava de nós para a pessoa amada (e vice-versa).
As fotos são o adereço dispensável que os amores de todos os tipos utilizam para se tornarem imortais.

===
Ou, vai ver, o cara só perdeu a pessoa que ele amava e não tinha um blog pra desabafar.