17 de mai de 2010

Expectativas

Acho impossível não criar expectativas. Cinema é expectativa.
As vezes somos surpreendidos; as vezes não.

Problematico é quando esperamos ser surpreendidos.

Desafiei-me um dia a não criar expectativas. Entrei de sopetão pra ver um filme do qual nunca tinha ouvido falar, mas em cujo cartaz achei, não sabia bem o que, algo de interessante.

Depois me recriminei, pois é claro que eu havia criado expectativas quanto ao cartaz... não valeu, obviamente.

Fiquei tentando outras maneiras de não criar expectativas. Fiz o seguinte teste: decidi  ver um filme, e escolhi o local e o horário por conveniência, sem saber o que estaria passado. Chegando lá eu escolheria o filme. Mas é claro que o critério de escolha do filme (no meu caso pelo genero e pelo título) também é uma expectativa. Quando leio um título e comparo com os outros, também envolve expectativas. E a escolha do lugar também influência; eu sei, por experiência, que no Estação passa um determinado tipo de filme, no Arteplex outro, no Severiano Ribeiro outro.

Comprometer-se por duas horas com alguma coisa sempre envolve esperarmos sair dessas duas horas diferentes, seja mais leves, com uma boa comédia, seja com alguma reflexão interessante etc.

Talvez não seja só no cinema...

A questão central, entretanto, é como saber o que esperamos? Se soubessemos, não seria mais uma expectativa. Nunca haveria frustração. Nem agradáveis surpresas.

6 comentários:

Ferruge disse...

Gostei do Blog ... Parabéns ...

Cecília disse...

Vitor, acho que pra tudo na vida, o melhor é não ter expectativas; embora eu não saiba como fz isso em todas as áreas da minha vida. Mas acho que pro cinema eu consigo me controlar bem! Acho que vc deve ser bem mais cinéfilo do que eu. ehehe

Cecilia disse...

Vitor
Super me identifiquei com seu texto. eu SEMPRE estou na expectativa, SEMPRE. É algo inevitável, inerente a mim.

Sinto falta dos nossos almoços, quero conversar com você!

érica disse...

O problema é que, sem expectativas, a gente acaba não se mexendo...

Carol disse...

Ter ou não ter expectativas: vivo nessa dúvida faz tempo.

Flávio disse...

Acho que você disse tudo. Não consigo imaginar como seria possível não criar expectativas. É inerente a toda ação, esperamos sempre algo dela, faz parte da nossa capacidade de refletir sobre nossos atos.