30 de jun de 2009

Michael Jackson

Michael Jackson e a agenda

A morte de Michael Jackson movimenta a mídia desde a semana passada. Eu estava no meio de uma conversa quando minha interlocutora foi interrompida pelo celular. Era uma amiga dela, ligando para contar o chocante fato. Não quero aqui discutir o indiscutível talento do astro, nem suas bizarrices depois da fama. Quero discutir o hoje, o dia depois da morte.

Duas notícias me chamaram atenção: três dos discos do Michael voltaram com força total à lista dos mais vendidos da amazon algumas horas depois; o Google registrou busca pelo seu nome como ataque cibernético, de tantas que foram.

Chego a especular como seria engraçado ele de fato não ter morrido. Depois de ser negro e "virar branco", não seria difícil fazer uma superplástica, virar outra pessoa e sumir do mapa, enquanto a sua obra estoura na mídia e ele (e seus empresários) ganham rios de dinheiro. Ok ok, é bem conspiratório isso. Mas eu só quero atentar para o fato de como a morte pode ser usada (talvez incidentalmente, tudo bem) para promover o que se quer promover. Desviar a atenção de assuntos mais importantes...

Na verdade é uma certa inquietação minha. Sempre acho que a agenda dos meios de comunicação é feita para nos entreter (quanto a este primeiro ponto não há a menor dúvida, pois que ela é feita para vender jornal ou espaço publicitário), enquanto o mundo de verdade rola la fora. Em todo e qualquer fato, insisto em perguntar: Cui bono? Porque é juntando essas pequenas pecinhas que podemos ter alguma vaga idéia do mundo. Ou talvez seja porque eu me sinto atordoado com o volume de informação a que estamos expostos diariamente.

5 comentários:

Carol disse...

Na sociedade do espetáculo, o Michael Jackson seria, de fato, um espetáculo à parte. No caso dele nem me espanto tanto porque toda essa comoção da mídia e etc é tão intensa como toda a sua vida, sua obra, sua carreira.

Agora, realmente, tudo é aproveitado. Morte e violência, então! A nossa vida, nossos sentimentos e, principalmente, nossos desejos são marionetes nas mãos dos poderosos ($$).

Agora o momento fã de MJ: gênio. Acho que não exagero quando falo isso.

Beijos!!

Danusa disse...

acho que o pobre Michael ele próprio foi afetado psicologimente por essas 'bombas' midiáticas... se nos sentimos atordoados de só estarmos no meio do fogo-cruzado (embora ainda sejamos os alvos), imagina se vc mesmo é usado como um instrumento disso tudo??
não falo mais porque a mídia já me cansa...
=)

érica disse...

Citando "A Menina Que Roubava Livros"...

"Os seres humanos me assombram".
É bem por aí.

Jornalismo hoje em dia é na base dos mega-eventos (com hífen ou sem hífen?). E os homens já provaram por A + B que só dão valor àquilo que não podem mais ter.

Fikdik.

Anitha Rosenrot disse...

Achei isso interessante também... O cara tava meio sumido,vendendo tudo para pagar as dívidas.. Ninguém dava mais tanta bola pra ele ! Foi só morrer que todo sentiu uma vontade súbita de ouvir thriller de novo...
Incrível!

Marcela disse...

Eu tô doida pra comprar o cd Thriller dele! huauhaua realmente o cd é bom, fazer o q, né? mas nem na época que eu tinha um namorado que dançava moonwalker (aliás, o vídeo dele no youtube bombou na época, agora deve ter disparado!) eu queria comprar o cd. Realmente vc tem razão em tudo que disse, as pessoas não tavam nem ligando muito pra ele, ele lançava cd e só o que tinham pra falar era sobre os escândalos que ele tava envolvido e de como ele era excêntrico. Depois o jornal nacional passou a fazer reportagens sobre como ele era maravilhoso, mas antes da morte dele só conseguiam falar de como a cara dele tava deformada e sobre as maluquices que fazia com os filhos (vide quando ele pendurou a criancinha na janela).
Pelo menos com o dinheiro que vai entrar agora as crianças não vão ficar mas com dívidas..rs