13 de fev de 2009

Bem, com o passar desses 20 anos eu aprendi muitas coisas interessantes. Hoje, porém, eu gostaria de fazer uma retrospectiva pela minha infância e relembrar alguns momentos, desde os mais clássicos, que muita gente deve ter memórias semelhantes, até os mais raros e únicos. É importante notar que sempre fui uma pessoa muito voltada para dentro de mim mesmo o que me tornou uma criança imaginativa e introspectiva com um domínio estonteante da realidade...

O Mundo é mágico, Flávio!

Eu fui uma criança bastante cândida... A ponto de morrer de rir da famosa frase “Vamos fazer um Canguru Perneta” sem ter a menor idéia do que significava. Isso rendeu alguns bons momentos:

_ Paiê! O que é um Canguru Perneta???
_ É um canguru que pula numa perna só meu filho...
_ Ahhhh!!!

Depois:
_ E o que é afinal fazer sexo?
_ Bem...er...não tem o sexo masculino?Então, tem o sexo feminino também!
_ Hum! (Percebendo que havia algo de errado e que não era bom continuar no assunto.)

Percebe-se aí a extrema perícia de meus pais em me ludibriar.(Pois é, Freud colocaria essa como a origem de muitos de meus problemas atuais.)
...

Eu dancei feliz e contente, como todo o mundo, a “melô do Tchan”. “Joga ela pro meio, mete em cima, mete em baixo, depois de nove meses você vê o resultado”, é incrível como eu não entendia esse trecho, aliás, eu antigamente achava que as músicas tinham muitos versos que não queriam dizer nada. Cresci, e muitos continuam sem fazer o menor sentido.

Por volta dos oito anos eu fiz a seguinte afirmação, sentado no banco de trás do carro de meus pais com dois amigos (um deles era mulher):

_ Pai!!! Olha só! Um cavalo de cinco patas! Que legal! Será um unicórnio?
(Risadas, muitas risadas!)
...

Eu demorei anos para entender porque comer tatu dá dor nas costas. E depois saí contando por aí a minha descoberta!
...

Aos quinze anos eu tive a seguinte conversa:

_ Caraca Thomás! O que é aquilo?
_ O mar!
_Sério? Que legal! Vamos marcar um dia para vir tomar banho de praia?

( Detalhe: Estávamos no meio da Vila Valqueire e o que eu via na verdade era névoa vista de longe e de um lugar mais alto. Em legítima defesa eu afirmo que parecia muito, muito mesmo!)
...

Aos vinte anos eu também protagonizei conversas seríssimas:

_ Vitor! Vitor! Vou virar bolsista de iniciação científica!
_ Sério cara!? Meus parabéns! Que legal!
_ Então, a UFRJ vai abrir a conta pra mim?

Resultado: Vitor me fez repetir essa pergunta para várias pessoas, inclusive ontem mesmo ele narrou a história e me fez repeti-la para o Roberto.
...

Bem, fica aí o convite: Quem quiser relembrar essa adorada e sonhadora fase que é a infância junto comigo seja bem vindo!

Ah! Um adendo: Esse texto veio muito no impulso sabe? É que eu estou enrolando para escrever dois textos mais densos e complicados, por isso peço desculpas a várias pessoas que esperavam por um deles!
(Várias!?)

19 comentários:

Vitor disse...

Não faz parte da infância, mas a mais clássica é a cena da livraria, há alguns anos. Flávio estava isolado lendo um livro. Pego o livro da mão dele e leio o título: "Como entender a mente masculina?". Aí segue-se o diálogo:
- Flávio, pq vc está lendo isso?
- Ah, eu sempre quis compreender uma mente masculina.

(nada mais a declarar)

Iggor disse...

huahuahua... O bom é que quanto mais conheço sua infância mais percebo que vc não mudou nada ao longo desse tempo...

Bruno Luiz disse...

Excelente texto, Flávio...lembrei demais da infância tb, todas as músicas sem sentido que me pareciam geniais haha...bons tempos, bons tempos!

carol disse...

Relembrar histórias é ótimo! Surgem pérolas maravilhosas.

E compartilho o mesmo sentimento em relação as músicas. Outro dia me espantei com a letra do Melô do Pirulito. Hehe... já prestou atenção nessa?

Beijos!

Vanessa Reis disse...

Esta nostalgia que por vezes nos toma de supetão me esclarece muitas coisas também. Essa do "tatu",então! Só fui vislumbrar o que é, dia desses - e eu batendo à porta dos 20!- que vergonha. A do cavalo foi demais,Flavinho! Ser criança em corpo de gente grande é bom demais.

Beijinhos

Amandita disse...

Lembrar da infância é algo muito bom mesmo! Principalmente quando lembramos de certas coisas que pensávamos... E acabam rendendo boas gargalhadas!! Eu tb não via as maldades nessas músicas. Nós éramos mt inocentes!! rs! E isso foi ótimo pois pudemos curtir todos os momentos sem medo de ser felizes!
É sempre mt bom revisitarmos a criança que existe dentro de nós, porque mtas pessoas esquecem que um dia passaram por essa fase tão incrível e especial e acabam se tornando chatas e ranzinzas.

Bjocas.

Cardoso disse...

Bons tempos aqueles, tempos que não voltam mais, ou não ?

Renan disse...

Eu já conhecia quase todas as histórias contadas, mas é sempre legal relembrar. Recordações desse tipo sempre trazem reflexões. No meu caso, vejo você ainda com muito dessa ingenuidade da infância, por motivos que eu não sei bem. Mas o texto representa mesmo o Flávio que eu conheço e foi sim muito bem feito. Talvez melhor que os densos e complicados. E não precisa pedir desculpa a várias pessoas porque infelizmente este blog é poquíssimo freqüentado.

Tati disse...

Flávio, esse foi um dos melhores textos feitos por vc q eu li!
É exatamante o estilo de texto que eu gosto de ler...

bjooos e parabéns!

Tati disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Felipe disse...

Nossa .. mto legal o texto , nada como nossa infância, né?
e me lembrei de músicas q eu cantava super feliz ,e nem me dava conta do q estava falando na maior inocência .. para citar uma q niguem ainda citou: se lembra daquel do Pimpolho? hauahahauahauahau
bom é isso Flávio, parabéns pelo texto e pelo blog!!
abraço!

Marcela disse...

ótimo que esta do tatu eu tb não entendia! fui entender ano passado ouretrasado.. aqui fica a dica: pegue o cd do mamonas assassinas pra ouvir novamente, vc vai ouvir com outros ouvidos! rs

mas a do unicórnio é demais pra mim..rs

beijinhoos

Pri disse...

eu tb cantava o tchan sem saber oq os versos significavam, e tb demorei p entender pq q comer tatu dava dor nas costas... mas eu sabia oq era um canguru perneta! :P

ah, e eu ri MUITO com o comentario do vitor XDDDDDD

Hugo disse...

Cara. Mancadas são diversas... eu tenho muitas que até tenho vergonha de contar HUAHUAHUAUHHUAA

Luana F. disse...

[O bom é que quanto mais conheço sua infância mais percebo que vc não mudou nada ao longo desse tempo...]2 rsrs

ai, ai...
lá pelos meus oito anos eu tinha roupinha de dançarina do tchan e tudo. e jurava que "mete em cima, mete em baixo" tinha algo a ver com a coreografia da musica.

Roberto disse...

O mar!!!!

caroline disse...

é um bom texto,e como falei para o msm,deveria investir em publicar mais suas produções. é sempre bom relembrar momentos legais da infancia,msm sendo alguns sem sentido,ou tçao ingenuos.Mas,essa é a graça,chegar aos 20 e rir das piadas,dos trechos q nao entendeu,do q pode compartilhar com os amigos.
enfim,gostei!

Ness ~ disse...

Q criança feliz!! ^^
Já viu, tem até um livro dos anos 90, como se fosse uma coisa looonge!!! Enfim... Ótimo texto! O tempo...

érica disse...

docinho, você é único. =]