7 de mai de 2008

As idéias

A erosão das idéias
A vida faz
Com sua beleza convulsiva;
É à tardinha
Que vamos esquecendo
O que o mundo nos tem a dizer
E as palavras vão brincando na nossa mente
Feito quem joga amarelinha
Ou cria castelinhos na areia da praia
Mas sempre vem a onda para derrubar os castelinhos
E sempre vem a realidade para interromper os pensamentos...

4 comentários:

Bruh disse...

Ai ai... :]

Danusa disse...

gostei! poema singelo, pueril... achei q tem mto da sua marca nele, é bem flávio: leve à sua maneira...

Vitor disse...

Por mais que as ondas derrubem nossos castelinhos de areia, sobra um morrinho: aquele pedaço de areia não volta para a posição anterior.

Mariana disse...

É verdade... sempre vem a realidade interromper os pensamentos. Droga de consciência! Prefiro o psíquico do inconsciente.

rs

Bjs!