10 de dez de 2007

são caras que só lembram que você pode ser linda na hora que eles querem sexo.

são bocas carentes que buscam companhia entre toques e taças.

são garotas vazias que desfilam buscando a evidência de suas coxas e a invisibilidade de suas dores existenciais

são situações que cavo no chão um buraco, onde jogo o pensamento, enterro e me calo.

vida vivida,é você que eu não quero
é você que eu nego

premeditada
destino linha
fatalidade
certezas
dogmas



vida que vivo,vida que vive,vem comigo
dança comigo
atravessa esta rua comigo,porque hoje tudo que quero é deitar
ser vã, vadia e vazia
ser como todos que critico
ser a cara do meu maior inimigo
ser eu mesma com a pior das intenções
ser eu mesma sem um pingo de amor pulsando em meu sangue
ser uma árvore seca pela ausência de alma e luz.

3 comentários:

Vitor disse...

Às vezes da vontade mesmo de ser fútil. De esquecer desses problemas existenciais. De sentir a carne pura.

Cuide-se Má! Senta e espera essa vontade passar. Ou faça uma loucura.

Só lembre-se que se te batem numa face, oferecê-lhe a outra.

Não sei... teu sangue é doce!
Beijo!

Flávio disse...

Kara...ou eu tive um Deja vú...ou eu já li esse texto antes...ou pelo menos...o comecinho dele...Estaria Flávio Ficando louko?Mais do q já é?Belo texto Mari...

Flávio disse...

Aliás...ando notando uma veia triste nos seus textos...e o carpe diem minha amiga?Seria isso apenas uma persona? Apenas noto q seus textos mudam sutilmente...Mas continuam maravilhosos...