7 de fev de 2007

Entrevista

Muitas idéias rondam a minha cabeça nesse momento. Eu ainda não consegui juntá-las para organizar um todo coerente... por isso o silêncio de palavras escritas. Ainda mais envergonhado diante do talento dos meus companheiros!

Uma das coisas que mais gosto é pensamentos diferentes, em dimensões diferentes na verdade. Que tal sair do interior da alma humana direto para a triste realidade carioca/brasileira?


É incrível como os textos com temas sociais não perecem no Brasil. Este nem é tão velho, mas de fins de 2005. Ele é com certeza menos maduro em termos de linguagem que todos os já postados aqui, mas meu gosto por ele está exatamente aí: na inocência, arma poderosíssima! Visitem sempre!!!


Entrevista

E: No país do verde e amarelo, você ainda se mantém na vanguarda, vestindo-se de preto. Porque?Gosta de rock?Vive em constante luto?

H: Não, não. Na verdade, não é bem uma escolha premeditada, nem modismo. Isso tem mais a ver com minha história, que se confunde com a história do Brasil. Hoje, até gosto de usar outras cores, até o branco, mas acredito ser o preto a cor de minha essência, de identidade nacional. E, cá entre nós, o pretinho básico nunca sai de moda!

E: O que você tem escutado recentemente?

H: Meu gosto musical é bem variado, estou aberto às varias tendências! Como hoje, por acaso, moro no Rio de Janeiro, tenho ouvido muito choro, principalmente de criança... mas também tiroteio, buzinas de carro, às vezes uma granada que os camaradas explodem. O Rio é uma grande mistura cara, é muito louco! Um verdadeiro caldeirão de tendências, não tem como ficar preso a uma só. Mas o meu preferido, que sempre me acompanhou, e aos meus antepassados, é até hoje um desafio à ciência: um ronco... uma batida única que vem das profundezas da minha barriga...

E: Numa cidade como o Rio de Janeiro, encontrar um bom lugar para viver é tarefa das mais complexas. Qual seu tipo de ambiente preferido?

H: Prefiro ambientes bem ventilados, ao ar livre, de preferência com vista para o mar. É uma coisa incrível, porque é um gosto que se encaixa perfeitamente com as recomendações médicas. Tenho problemas respiratórios, sabe? Asma, bronquite, sinusite, rinite alérgica... não posso passar dois segundos em lugares fechados, com muitos livros, poeira que já vem logo uns caras de colarinho branco me expulsando. O que seria de mim sem eles. Gosto muito de ler, mas graças a Deus os tenho para me impedir de praticar esse vício horrível.

E: Você tem um físico de invejar qualquer modelo da SPFW (São Paulo Fashion Week)! Qual o segredo para manter o porte?

H: Corro muito! Os policias daqui da região me ajudam muito a manter a forma, me dão um excelente treinamento! Agradeço todos os dias pela grande ajuda que me prestam...

E: Só isso?Você come de tudo?

H: Como tudo que aparece na minha frente!(risos)(pausa) Mas não sou de comer muito sabe... é... melhor para minha saúde! Veja só os norte-americanos com todos aqueles problemas de obesidade. O bom é que qualquer roupa cai bem em mim... Além do que,

(Por motivos de força menor, o nosso entrevistado não pode mais continuar... virou estatística, junto com milhares de brasileiros que morrem de e na miséria, sem nunca perder o bom humor... que Deus o tenha, alimente seu corpo e sua alma).

2 comentários:

Érica disse...

Deixo aqui o silêncio da indignação, sabendo que nenhuma palavra poderia desfazer o nó na garganta...

Carol disse...

Realidade persistente essa, não?

Muito triste...

Quando será que abriremos nossos olhos?