21 de nov de 2009

Banalidades e Onirismo

Às vezes acho que a vida passa de pressa demais e escrevemos muito pouco. Não, não é que eu queira uma possível eternalização através da arte de escrever. Que diferença faz se os meus poemas vão ser lidos após a minha morte? (Personagem de Woody Allen)

Em suma maioria, apenas escrevemos o que outros nos ditam ou nos fazem copiar, que geralmente é cópia de um terceiro. A criatividade fica jogada ao canto, feito cesta de lixo numa sala quadrada estudantil.

Sinto a necessidade de idéias novas. Acho que todos sentem, mas nem todos falam ou tentam tê-las. Escrever algo diferente é uma tentativa. Muitas são frustradas e não nos levam a lugar nenhum, mas, pelo menos, serve para nos conhecermos mais.

Como diria um personagem de Woody Allen, sinto todos os anseios e desejos de um artista, mas infelizmente não tenho o menor talento para artes. Resta-me aceitar? Não, não é essa a minha intenção. O meu desejo real é me libertar de tudo que me oprime, inclusive das formas de expressões limitantes atuais. Se não sei escrever, desenhar, pintar ou fazer sei lá o que! Eu invento uma nova forma de expressão.

Ultimamente eu sonho em criar um tipo de arte livre que não seja necessário ter nenhuma habilidade técnica. Não sei ao certo como chegar a isso, mas eu gostaria que fosse tudo muito colorido, se eu pudesse usar luz, quem sabe? Seria interessante expressar-se durante o sono, se fosse possível canalizar os pensamentos que temos e formar uma obra de arte, mesmo que ela seja apenas de luz ou da matéria etérea a qual é feita os pensamentos.

Sim! Espero o dia em que tenhamos uma grande arte, onde a qualidade de nossas obras sejam medidas pelo tamanho de nossos sonhos...

16 comentários:

sevejocosilva disse...

...se a sua busca é a confusão, está quase conseguindo...

Flávio disse...

Eba! Uma crítica de uma pessoa que a gente não conhece! Nosso Blog está crescendo! *__*

Flávio disse...

Ah....bem, se um dia você voltar aqui! Explique porque eu to quase conseguindo! Porque não entendi bem o seu comentário! Não sei nem se é uma crítica mesmo. E se for, pode criticar à vontade, só me explique o que falta p/ conseguir, porque conseguir algo, já é muita coisa!
Abraços!

Anna disse...

Salve a discórdia! Salve Éris 5 vezes dourada! Salve o rabo do unicórnio!!!

existe uma arte chamada falar , conhece XD?

Léia disse...

Esse ano estou improdutiva, quase não escrevo... minha forma de expressão é pelos pensamentos, algumas vezes eu consigo sair um pouco (muito pouco, segundos) da realidade e sonhar, talvez esteja me aproximando da sua "grande arte".
Mas durante o sono, eu vou dormir tão cansada que não lembro o que sonhei.

Enfim, comentei.Beijos:)

Mari disse...

Não achei confuso... compreendo a necessidade por algo fora dos padrões, fora do comum ou de algo nem tão comum mas já experimentado.
...
Na verdade, já houve tentativas de se utilizar os sonhos nas artes (no surrealismo se nao me engano - corrija se estiver errada). Os sonhos como fonte de criatividade para as pinturas. Agora, os proprios sonhos como arte (não q vc tenha sugerido exatamnte isso)... como seria? Como poderia ser?

Rafael Godinho disse...

- Consertar "de pressa" na primeira linha;

- acho q "suma maioria" não ficou bom. Não vejo sentido. "Franca maioria" não seria melhor?

- "a criatividade fica jogada a um canto, feito (...)". Em vez de "feito", q parece até não concordar com o sujeito da primeira oração, q tal "como"?

Mari disse...

Godinho... tente perceber a mensagem, o conteúdo e nao só a estrutura! rsrs... to profunda hein! hehehe

Rafael Godinho disse...

Vamos parar pra refletir um pouco? Por que ter ideias novas? Por que não desenvolver as começadas? Há tantas ideias no mundo, mas poucos foram até o fim! =p

Vc sonha em reinventar a roda, meu caro, isso sim! Sinceramente, não precisamos de ideias novas! Precisamos renovar as antigas, isso sim! Ressuscitar!

Rafael Godinho disse...

Oi, Mari! É q não coube tudo num post só! E tb sempre começo vendo a estrutura! Q coincidência vc por aqui! rs

Flávio disse...

Eu até entendo Godinho. Mas, idéias como um novo sistema político e um novo brasil são precisas!!Não sei se dá p/ desenvolver essas não!

Abraços!

Rafael Godinho disse...

"Novo" sistema? Pra mim a monarquia foi o melhor sistema, e não é uma ideia nova. Mas o dinheir falou mais alto e puseram isso q chamam de "democracia", ditadura da maioria, em q todo mundo quer tirar vantagem...

O "novo Brasil" não é uma ideia! É reflexo de um novo espírito! Precisa-se mesmo é de uma revolução espiritual!

Thiago Kuerques disse...

O mordenismo buscava isso. E quem disse que existe regra? Quer escrever? Simplesmente escreva. Que desenhar, cantar, pintar, escovar, escoar, escarrar, faça!
Só nao deixe de fazer. Só nao deixe quietar.

De resto, vá adiante. Por favor...

Isabela disse...

Gostei do texto, também tenho essa vontade de inovar. Não achei confuso e acredito que precisamos sim de idéias originais! Concordo com o Thiago aqui em cima, mas ao mesmo tempo entendo essa busca por novas formas de expressão, em que você se sinta realmente bom fazendo.

Vitor disse...

O conteúdo é indissociável da forma.

Esta frase, com a qual inicialmente não concordei, mas que hoje me parece correta, gira na minha cabeça há uns dois meses. Ainda não consegui elaborar muito, mas pretendo escrever um texto sobre o assunto. Na verdade, interessante como estamos em sintonia de assuntos nos últimos dois textos.

abraço

Lilian disse...

ahh o que dizer de vc meu lord....escreve muitissímo bem gostei do texto,percebi o quanto woody allen te influencia é claro que vc tem o seu brilho próprio,diferente do que vc cita no texto eu penso que todos temos talentos e o seu é definitivamente ligado a arte.eu sinto sua sede por crescente ascençao ms calma tu é jovem tem muita estrada p cruzar,se bem que na sua idade e pelo pouco que te conheço seu alvoroço me parece ser eterno(típico de artista).nao tenho duvidas quanto o seu sucesso e confesso seu blog me deu vontade de ter um.beijoss lilian...a lily