14 de nov de 2006

Balada do poeta amoroso(Ou ignorado)

Ah, Poesia como te amo,
Te amo por demais!
Amo teus enredos
Tua musicalidade
Teus versos magistrais!
Tua métrica perfeita.
Ou
Tua forma assim desfeita
Por poetas que quiseram mais!

Amo tanto tuas rimas
Raras, ricas, preciosas, escondidas!
Nas almas incompreendidas,
De poetas imortais!

Ah, Poesia como te amo,
Te amo porque me satisfaz!
De suas carícias vivo
E sem ti, todas as outras artes
São do Tédio sucursais!

Ah, como te amo!
Amo todos os poetas
Incompreendidos pelo povo,
Barrocos e Surreais!

Amo-te inigualável arte!
Que me inspira a viver em paz!
Pois te versando vou tecendo
Tantos inatingíveis pensamentos,
Que nem o tempo corrompe jamais!

Ah, Poesia que eu amo!
Me ensina o que se faz!
Para viver nesse estranho mundo.
Onde poesias são meros enfeites
Jogadas fora como jornais.

Bem, Poesia que já se vai!
O bom é que para você...
Tanto faz!
Os poetas e seus amores,
Os mistérios da noite, da vida e da morte!
Para você, são todos iguais...

6 comentários:

Mariana disse...

ah, fenomenal!

estou babando.rs
Nossa,Flávio, gostei muito.
Eu li alto e fui me empolgando, empolgando...uh!
Digno de ser lido na frente de milhares para estimular esses a viver.


Nha, que orgulho eu tenho dos meus companheirso de blog,rs


=)

Gostei.




Abraço da amiga

Wlado disse...

nossa!!!
esse blog esta se mostrando um dos melhores que leio... to até c/ vergonha de linkar o meu... vou por enquanto me referenciando neste espaço!!!Bravo!!!

Renan disse...

Diferente de você, acho que sem a poesia as outras artes não seriam apenas sucursais do tédio. Elas inexistiriam...sem poesia a arte dá lugar a: rotina, cansaço, desânimo...fica tudo muito prosaico...Não precisa ser a poesia literária.A poesia pode e tem que estar presente em todos os campos, senão tudo perde a graça e o sentido...Muito bom o texto!

Érica disse...

Atualização! \o/

Davi Paranaguá disse...

Uau que texto lindo adorei.

Vitor disse...

É bom voltar. Se em grande estilo melhor ainda!!!
Vamos colocar constancia nisso aqui galera!

Apesar de não ser muito hábil na poesia, confesso que ela é realmente a senhora das artes. Porque não tem um código próprio - como música, dança ou matématica - mas se utiliza do código do povo. Pena que é muitas vezes por ele incompreendida (me incluo nesse nicho).

Você já fez o brinde à poesia. Agora só nos resta saborear o vinho!

grande abraço!